Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Elogio

por Peças de Família, em 24.02.15

 

Já todos reparámos que o Mundo lá fora não é propriamente abundante em elogios: não somos elogiados pelo nosso superior quando chegamos a horas ao trabalho, não somos agraciados com um gesto de reconhecimento quando damos passagem a um peão na passadeira e, muito menos, recebemos uma palavra de agradecimento da parte do Ministério das Finanças por pagarmos os nossos impostos a tempo e horas. É como se os nossos esforços para fazermos as coisas bem fossem tomados como certos. Como se não fossem dignos de nota. Agora, experimentemos “sair da linha” para vermos o que nos acontece!

 

A maioria de nós é rápida a criticar, mas lenta a elogiar, não tendo esta regra exceção no que toca à forma como comunicamos com as nossas crianças. Pense comigo. Quantas vezes chama a atenção do seu filho por ele não pendurar o casaco ou arrumar os sapatos quando chega a casa? Muitas, dirá certamente. Agora, quantas vezes elogia o seu filho por ele ter por hábito pôr a mesa de boa vontade ou por lavar sempre os dentes sem reclamar? Poucas, constatará provavelmente.

 

Os Pais precisam de aprender a notar as caraterísticas positivas dos seus filhos, assim como dar o devido valor aos seus esforços para fazerem as coisas bem. E digo aprender, porque culturalmente não fomos “treinados” para fazermos sobressair o positivo nas pessoas, focando-nos muito mais no negativo, chegando-se ao ponto de se ouvir dizer que o elogio estraga.

 

Pois o elogio não estraga, não senhor. Estudos realizados demonstram que a falta de elogio e reconhecimento do comportamento adequado, essa sim, pode levar a um aumento do mau comportamento. Porquê? Porque se não reconhecermos o que as crianças fazem bem, elas têm tendência para chamar a nossa atenção negativa para o que fazem mal.

 

elogio.jpg 

Assim, além de fortalecer a relação Pais-Filhos e reforçar a autoestima da criança, o elogio fornece motivação necessária para a manutenção do comportamento adequado, bem como, encorajamento para a aquisição de novas competências.

 

E isto não vale apenas para os nossos filhos. Serve também para todos nós.

 

Manuela Silveira

Autoria e outros dados (tags, etc)


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.







Pesquisar

  Pesquisar no Blog